Bipap STD 30 da Respironics / Philips

Há aproximadamente 10 anos, desde que comecei a receber atendimento de auxiliares de enfermagem pela homecare do meu plano de saúde, eu havia tido o privilégio de contar com dois aparelhos de ventilação mecânica não invasiva na minha residência como medida de segurança se um dos ventiladores falhasse – o que já me aconteceu – e também para diminuir o desconforto respiratório nos trajetos de ida e volta do banheiro, pois sempre peço para colocar e deixar ligado um dos aparelhos no banheiro antes de eu chegar lá, de modo que eu já possa receber ar assim que eu entro no banheiro, não precisando esperar que um aparelho seja trazido posteriormente.

Ultimamente estavam comigo um Synchrony II mais um Trilogy 100. Entretanto, por alguns problemas com o meu plano de saúde, tive de abrir mão de um dos ventiladores, que no caso foi o Synchrony II, que é menos sofisticado e sem bateria.

Mas graças à bondade e generosidade da minha amiga Laura, não precisei ficar um dia sequer sem o meu suporte ventilatório de retaguarda, porque ela me emprestou um bipap antigo – anterior mesmo ao Synchrony I – chamado S/T-D 30, da marca Respironics, atualmente propriedade da Philips.

No manual do S/T-D 30 em português está a descrição abaixo:

O Sistema Hospitalar BiPAP S/T-D é o primeiro ventilador de suporte de pressão concebido para atuar com sensibilidade inspiratória e expiratória ótima na presença de vazamentos de máscaras. É completamente automático, simplificando a ventilação não invasiva.
Com a Auto-Track Sensitivity, a unidade funciona em resposta ao padrão respiratório do paciente, não requerendo nenhum ajuste manual de sensibilidade.
Mesmo quando as condições respiratórias e do circuito mudam, a unidade efetivamente acompanha o esforço do paciente a cada respiração.
A operação simples e pressões de até 30 cm H2O tornam o Sistema BiPAP S/T-D ideal em muitas áreas do hospital. Em pacientes apropriados, considere o Sistema Hospitalar BiPAP S/T-D 30 para as suas necessidades de ventilação não invasiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *