Apoio de cabeça articulado e estofado para cadeira de rodas

Ao longo dos últimos anos venho desenvolvendo uma pequena porém incômoda escoliose que faz com que a minha cabeça fique pendendo para o lado direito quando estou sentado na cadeira de rodas (carrinho motorizado, na verdade), o que me causa dor nos nervos do lado esquerdo do pescoço e me dificulta ainda mais a minha já fraca capacidade de deglutição.

Meus pais procuraram resolver esse problema de diversas maneiras, inclusive comprando um bloco de espuma de tapeceiro, tentando cavá-lo para o moldar ao redor da minha cabeça, mas não obtivemos sucesso.

Para aliviar um pouco o desconforto com a má postura do meu pescoço e cabeça, o jeito foi solicitar, em junho de 2015, o serviço da terapeuta ocupacional Juliana Remorini, consultora em tecnologia assistiva da empresa de produtos para deficientes Vivere, que, junto com seu colega Carlos, veio a domicílio analisar a situação e propor uma solução, que foi na forma de um apoio de cabeça articulado e todo estofado.

Apoio de cabeça, visto de frente

Simples e removível, esse apoio para cabeça pode ser acoplado em outras cadeiras de rodas, sendo que o suporte dele é uma chapa de madeira fixada no encosto da cadeira de rodas por correias conectadas por fivelas plásticas com travas. Ou seja, a fixação se assemelha a uma mochila de escola nas costas do estudante.

A articulação do apoio de cabeça permite que ele gire alguns graus na horizontal e que se incline vários graus um dos lados para baixo ou para cima, como uma gangorra.

O tubo de metal que conecta o apoio para cabeça ao suporte (chapa de madeira) possui regulagem de altura e profundidade, funcionando essas regulagens igual a trilhos.

Embora o objetivo nunca tenha sido corrigir a minha escoliose, a meta de proporcionar um pouco de alívio para as dores na lateral esquerda do pescoço foi atingida porém surgiu um outro desafio, que consiste em dor (tipo espeto enfiando) na lateral direita da cabeça quando fico mais de uma hora com a cabeça apoiada num mesmo ponto, mas creio que isso se deva à minha magreza ou a alguma enervação que passe justamente nesse ponto que fica apoiado ou até mesmo à própria escoliose, que empurra a cabeça contra o apoio.

Apoio de cabeça, visto do lado direito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *