Trilogy 100, da Respironics (atualiz.28/3/11)


Agora que já se passaram quase seis meses que estou utilizando o ventilador pulmonar Trilogy 100, fornecido pela sempre atenciosa empresa Lumiar Health Care através do meu abençoado plano de saúde Classes Laboriosas, posso garantir que este respirador é verdadeiramente excepcional porque, entre outros recursos, dispõe de duas baterias (uma interna que dura 3h e outra encaixada externamente cuja autonomia também é de 3h); é portátil; tem a possibilidade de ser empregado tanto como ventilador pressórico (bipap) quanto volumétrico; inicia o envio de ar quase imediatamente quando é ligado, ao contrário dos outros aparelhos que demoram alguns segundos para começar a enviar; não requer filtro fino (aquele branco e quadrado dos bipaps convencionais), bastando apenas os filtros bacteriológico e preto de espuma, o qual é bem pequeno e fácil de ser trocado, pois seu compartimento é aberto; esquenta muito menos que os demais que já usei, mesmo com ele funcionando quase 24h todos os dias; nunca falhou nem deu problema durante esse tempo todo que estou com ele; e é bastante silencioso.

Se a intenção for utilizá-lo como ventilador volumétrico, são necessárias algumas configurações extras, o que inclui a retirada de uma tampa que libera a saída para duas mangueirinhas, as quais são conectadas, ao lado traquéia comum, no adaptador bucal da foto abaixo. Por causa desses detalhes, é recomendável que se solicite a visita de uma fisioterapeuta da empresa fornecedora do aparelho a fim de que ela possa dar um treinamento abrangente da máquina. Para mim a presença dessa profissional foi imprescindível, ainda mais porque ela era extremamente competente e conhecia a fundo o equipamento.

Ainda a respeito do volumétrico, como pode ser visto na foto a seguir, para que eu possa respirar pela boca, há uma pessoa segurando o adaptador bucal (cachimbo), o que não é muito prático no dia dia, portanto, o ideal seria adquirir um tripé de suporte para microfone (parecido com aqueles que os cantores usam em shows), pois o diâmetro do encaixe de microfone desses suportes é semelhante ao diâmetro do cachimbo.

Então, após ajustado confortavelmente e fixado adequadamente os pés do tripé no chão, o cachimbo ficaria encostado ou bem próximo da boca para facilitar a puxada do ar pelos lábios. Esse tipo de suporte pode ser encontrado, aqui em São Paulo, na rua Santa Ifigênia e custa cerca de R$40 – o meu foi comprado lá, mas infelizmente ainda não tirei foto dele. Caso prefira, ao invés disso, você pode tentar usar um pedestal para microfones ou coisa parecida.

Observação: se, junto com o aparelho, não vier a peça que prende o cachimbo ao conector em que a traquéia e as mangueirinhas ficam ligadas, é possível fazer uma gambiarra, a qual consiste em cortar fora a extremidade lisa de uma traquéia sobressalente e usar esse pedacinho que foi cortado em substituição àquela peça faltante.

Baixar / descarregar / download do manual do usuário do Trilogy100.

4 Respostas

  1. Marcelo Oliveira disse:

    Cara, este seu plano de saúde é mesmo digno de aplausos!!! São excepcionais!! 😉

    Abços
    Marcelo

  2. Estevão Augusto disse:

    São mesmo!
    Abraço.

  3. Vinícius disse:

    Qual o nome deste adaptador bucal, é uma peça propria ou uma adaptação q pode ser improvisado com outros adaptadores. se for algo mais especifico qual o nome pra procurar onde comprar? Obrigado

  4. Estevão Augusto disse:

    não sei como chama pois o meu veio junto com o aparelho em questão.
    abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *